Tiradentes / São João Del Rei – MG

Em respeito ao Planeta, apoio ao Programa Jovem Meio Ambiente e Inclusão Social (PJMAIS), esta viagem foi neutralizada e leva este selo - Árvores Plantadas - 02

VERSÃO PILOTO

COMO CHEGAR

Aproveitando que a sexta-feira em São Paulo foi feriado (Revolução Constitucionalista de 1932), fomos conhecer um outro trecho da Estrada Real.
Partimos logo cedo com destino a Tiradentes, optamos em seguir pela Dutra até Cruzeiro e de lá seguimos contornando a bela Serra da Mantiqueira, passando por cidades como, Passa Quatro, São Lourenço, Caxambu, Cruzília e Minduri.
Foram 510 quilômetros, não é o caminho mais curto, mas certamente é o mais bonito, e pra quem viaja de moto é isso o que importa.
Na volta optamos pela Fernão Dias, foram 480 quilômetros com bom asfalto e muitas curvas, chegando perto de São Paulo o volume de carros aumenta muito e isso exige maior atenção.

O QUE FAZER

Nessa região tem muito o que fazer, mas como tínhamos apenas um dia e meio, tentamos fazer o melhor.
Começando pelo imperdível passeio numa Maria Fumaça americana do inicio do século XX. São 13 quilômetros até São João del Rei, percorridos em aproximadamente quarenta minutos que nos levam a viajar de volta ao passado.
Chegando em São João uma boa opção para otimizar o tempo foi contratar um táxi para nos levar para conhecer o centro histórico, com suas Igrejas, casarões e solares, tudo muito bonito, bem conservado e com muita vida.
Na volta a Tiradentes o bom mesmo é tirar um cochilo enquanto a velha Maria Fumaça balança pelos trilhos e apita para se mostrar por onde passa.

COMER & BEBER

Em Tiradentes, as opções são muitas, principalmente para quem gosta da culinária da região, mas é bom ficar atento com os horários, a vida noturna por esses lados acaba cedo, principalmente para quem tem a referencia de São Paulo.

VERSÃO GARUPA

Finalmente voltamos ao circuito da Estrada Real. Em setembro de 2009 fizemos o Caminho dos Diamantes e foi fantástico, só que numa bifurcação tivemos que escolher entre um caminho e outro, e quando um ganha o outro é adiado, como ocorre na vida também. E nesta escolha, este pedacinho que incluía Tiradentes ficou de fora. Felizmente veio a oportunidade de conhecer e aqui estamos. Dia perfeito para uma viagem, o sol estava radiante e o céu com um tom de azul que só é possível ver nesta época do ano, inverno.
Optamos por passar pelo circuito das águas, Caxambu, São Lourenço, Madre de Deus e outras cidades menores. Esta Estrada é encantadora, com um visual que vale muito a pena estender um pouco mais o percurso, a cada curva uma paisagem bonita.
Nossa primeira parada foi em Cruzília para conhecer o famoso bar do Pedrinho. Tomamos Tubaína “Teixeira” e comemos umas coxinhas de frango. Incrível como as coisas são baratas no interior, com o valor de uma em SP, comemos quatro.

Seguimos para São João Del Rei, nossa ideia era passar um dia por ali e depois ir para Tiradentes, mas mudamos de planos, porque a cidade é muito movimentada, com um centro comercial grande, conforme informações são 110 mil habitantes. Como gostamos de cidades menores, seguimos para Tiradentes, onde habitam mais ou menos 6 mil pessoas. Como veem é bem menor.
Quando a gente chega em Tiradentes é possível ver uma cadeia de montanhas de pedras que cerca parte da cidade, nos dando a impressão que ela fica em um vale. É muito bonito e no final de tarde, dá para ver o sol se por atrás dela.

Escolhemos nos hospedar na Pousada Fazendinha de Minas, fica um pouco afastada do centro, cerca de 10 minutos a pé. Preço justo em relação às outras, bom atendimento, simples, porém bem organizada. Lembra uma pequena fazenda, com galinhas, gansos e outras aves. Tem também cavalos para quem gosta de cavalgar. Como vê, parece que escolhemos um bom lugar. Em Tiradentes tem outras opções mais sofisticadas de pousadas, aliás, tem pra tudo quanto é gosto, depende da proposta de cada viagem, no nosso caso, buscamos algo que nos dê a sensação da vida tranquila e simples das cidades do interior de Minas
À noite fomos jantar num excelente lugar, o Restaurante do Celso, comida típica mineira bem servida, um prato individual dá para duas pessoas, indicado pelo Guia Quatro Rodas, então podem acreditar, é muito bom. Depois caminhamos pela cidade para conhecer um pouco mais e nos deparamos com uma tentadora loja de doces, queijos, pimentas, licores, doces cristalizados, biscoitos, geleias e cachaças produzidos pela região chamada Flor de Lótus. A noite em Tiradentes é muito fria, tem época que chega a 2 graus e como a temperatura começava a cair resolvemos dormir para aproveitar bem o dia seguinte.

Amanheceu e logo fomos tomar aquele delicioso café da manhã servido em um antigo carro de boi, ideia criativa da proprietária, né? Decidimos que faríamos um passeio de Maria Fumaça. Este trem parte da estação às 11h com destino a São João Del Rei e custa R$ 30,00pp ida e volta. Caso queiram fazer um passeio turístico por lá, tem sempre um guia na estação oferecendo seus serviços e custa R$ 25,00pp, inclui uma van para levar aos principais pontos da cidade.

Quem quer fazer algo mais rápido e menos compromissado pode contratar um táxi e foi o que acabamos fazendo. Como estávamos em quatro pessoas, pagamos R$ 10,00pp e fomos visitar algumas igrejas, que por sinal é o que não falta na cidade. São 23 ao todo, e mais 7 capelinhas. São Igrejas construídas no século XVIII, algumas com muito ouro na parte interna, como por exemplo, a de Nossa Senhora do Pilar. Uma das mais visitadas é a de São Francisco de Assis, esta fica aberta o dia inteiro e cobra uma taxa de R$ 2,00pp. Ali se encontra algumas obras de Aleijadinho e um lustre magnífico que tem igual no Museu do Louvre. Passamos também pela Rua das Casas Tortas, onde contam que devido ao consumo de algumas cachacinhas pelos pedreiros resultou naquele trabalho, que hoje em dia é ponto turístico.
Conhecemos também a casa de Tancredo Neves e o túmulo onde ele e sua esposa foram sepultados.

Outro atrativo interessante são as peças produzidas por um mineral de estanho, chamado Cassiterita, que era muito abundante na região, mas hoje este material vem de Rondônia e as peças são produzidas artesanalmente. São muito bonitas, excelente para presentear. Os valores não são baixos, mas tem algumas peças menores com um custo razoável que dá para adquirir e guardar como lembrança. Fazer este passeio turístico por São João Del Rei e ver aquelas maravilhosas palmeiras centenárias, fez com que eu mudasse um pouco minha primeira impressão sobre a cidade, mas no quesito limpeza ainda deixa muito a desejar, principalmente por ser uma cidade turística.

Resolvemos almoçar em Tiradentes, mas se preferir almoçar em SJ Del Rei, tem um restaurante por quilo muito bom, o Velleiros.
Hora de voltar, o trem parte da estação ás 15hs, a viagem dura cerca de 40 minutos.
Chegando em Tiradentes fizemos um passeio pela cidade a pé ainda durante o dia e percebemos que há muito o que fazer e que dois dias é muito pouco.
Pra quem gosta de ecoturismo, tem trekking, cicloturismo, floating, cavalgadas, rapel, caverna e pra quem não gosta muito, tem os passeios históricos culturais. Uma empresa que realiza estes passeios é a Uai Trip (www.uaitrip.com.br), os preços variam de R$ 45,00 a  R$ 65,00pp. Parece um pouco alto, mas inclui transfer, monitoramento, mochilas com água e lanche e seguro de acidentes pessoais para alguns roteiros. Não realizamos nenhum, porque retornaríamos no dia seguinte pela manhã, mas é um motivo muito bom para voltarmos.
Se preferir fazer um passeio com charretes nos principais pontos da cidade, custa R$ 50,00 e acomoda até quatro pessoas.
Em Tiradentes o que não falta são pousadas, cerca de 170, e os restaurantes típicos são inúmeros. Quem quer um pouco mais de tranquilidade, tem o bairro do Bichinho, que fica afastado 4km do centro, ali existem algumas pousadas e muitos ateliês de arte, a propósito, percebi que o artesanato é um dos itens mais procurados da cidade, tem também muitas lojas de móveis rústicos.

Final de tarde, subimos no Alto de São Francisco para ver o por do sol, regado a música clássica de Beethoven e Tchaikovsky, mas atenção, só ocorre aos sábados.
Ficaria um bom tempo descrevendo parte da história e da simpatia das pessoas que sabem receber muito bem o turista, mas o resto vocês vão descobrir indo até lá e podem acreditar, vale muito a pena passar pelo menos 4 dias neste lugar ou se não fazer que nem a gente, voltar outra vez

Viagem realizada em:09/07/2010 a 11/07/2010
Quilômetros Rodados1000 km (ida e volta
Despesa CombustívelR$ 230,00
Despesa HospedagemPousada Fazendinha de Minas- R$ 130,00 (alta temporada)
http://www.pousadafazendinhademinas.com.br/
Classificação da cidade Turistica