Versão Garupa
PEDRA BELA - SP
Versão Piloto
 


Tudo começou quando recebemos do nosso amigo Cícero um desafio:
E aí, gostam de adrenalina? Que tal fazer a maior tirolesa do mundo?
Logo imaginei que não era no Brasil, mas para minha surpresa era bem mais próximo do que pensava, logo ali, em Pedra Bela, exatamente 16 km depois de Bragança Paulista – SP.
Opa, vamos ver de perto como é isso. Pesquisando na internet vimos que é realmente a maior tirolesa em cabo único, com 1900m e a descida atinge até uma velocidade de 107km/h.
Mas Pedra Bela realmente era novidade para nós e pensamos, porque não passar um final de semana na Pousada Alma de Pedra e conhecer um pouco mais este lugar?
Por ser bem próximo, resolvemos ir de Burgman 400 da Suzuki e aproveitar para variar um pouco. No começo fiquei incomoda, pois o formato do banco me fazia escorregar o tempo todo obrigando a corrigir minha postura. Bom, como era logo ali, seria possível aguentar, mas acredito que para uma viagem longa demoraria um pouco mais para me adaptar. Outra coisa que atrapalhou um pouco foi o excesso de lombadas e radares que tem na Rodovia Capitão Barduino, sentido a Socorro. Tirando esta parte, a estrada é bem simpática, cheia de curvas e paisagens que combinam muito com viagem de moto.
Chegando em Pedra Bela, tem um portal e é ali que tem que fazer a inscrição para a tirolesa, não adianta insistir, o local é somente ali. Como tínhamos marcado com o Alexandre, proprietário da Pousada Alma de Pedra e também responsável pela Mega Tirolesa, seguimos em frente. Chegando na pousada recebemos toda explicação do que poderíamos fazer no final de semana pela região e por ser 13hs, a dica foi almoçar em Pinhalzinho, que fica uns 10 km de Pedra Bela, no restaurante Villa Itália. Excelente e mais interessante é que fica numa pequena rua residencial, onde não dá para imaginar que tem um restaurante de muito bom gosto. Fomos recepcionados pelos proprietários Ludovic e a Chef Fernanda Requin que nos apresentaram a casa e o vasto cardápio que conta com carnes, peixes, pizzas, massas, que inclusive são produzidos por eles mesmos. As bandeiras de onze países penduras no teto, além de decorativas, indicam a procedência dos vinhos que a casa trabalha, sem contar com as diversas marcas de cervejas importadas. A sugestão para nosso almoço foi um Raviolli de ricota na manteiga (R$ 17,50) e um Bife de Chorizo, típico argentino (R$ 31,00), todo fim de semana tem uma novidade no cardápio, isso para sempre que você voltar ter algo novo para experimentar. A sobremesa foi um show a parte feita pelo Fábio, um Zabaglion típico italiano, creme de gema de ovos com açúcar e amareto e na falta pode ser feito com controau e vinho branco, servido com sorvete de creme (R$ 9,50). Atenção para um detalhe, eles não aceitam cartões e os únicos bancos que tem na cidade são Bradesco e BB. Venham visitá-los, vocês vão realmente conhecer um lugar onde terão vontade de voltar.

Saímos de Pinhalzinho e seguimos direto para a tirolesa. Escolhemos fazer no final da tarde por ser um dos horários mais bonitos e também porque tem uma boa luz para fotografia. A moto fica no portal da cidade e uma van leva até a Pedra Grande ou Pedra do Santuário, o principal ponto turístico da cidade. Mas antes paramos para fazer umas fotos de um pessoal que treina MotoCross numa pista logo abaixo. O Piloto sentiu uma vontade tremenda de dar uns saltinhos, mas de burgman não poderia ser, né?
Bom subimos até a pedra e tivemos que escalar uma escadaria que só de olhar dava vontade de desistir, mas como todo sacrifício tem a sua recompensa, decidimos investir.
E não é que valeu muito a pena. Infelizmente dura somente 1 minuto e 40 segundos. Confesso que na hora senti um calafrio, mas depois foi só alegria. Deu para se divertir bastante e como fomos com um cambão (peça que possibilita descer duas pessoas de uma vez), deu para fazer bastante fotos. Qualquer pessoa pode fazer, desde que tenha mais de 40 kg, inclusive crianças. Custa R$ 35,00 pp e se resolver descer novamente, paga somente R$ 25,00. Excesso de adrenalina dá um soninho, nada como tirar um cochilo, porque a noite já tinha compromisso com a Josilene e o Adinan, proprietários da Pizzaria La Bella, onde teríamos o prazer de experimentar além de pizzas, o cogumelo produzido no sítio da família. A casa estava lotada, mas eles sempre arrumam um tempinho para passar de mesa em mesa e bater aquele papo que só o pessoal do interior sabe fazer.
O frio estava propício para uma fogueira e foi exatamente isso que fizemos quando chegamos na pousada. O céu era de dar inveja de tanta estrela que tinha, quando é que vemos isso em SP? Sempre que viajamos para o interior e temos oportunidade de na própria estrada parar e desligar a luz da moto, nos deparamos com o que a noite tem de mais bonita, a lua e as estrelas. Este é um momento contemplativo, dificilmente fazemos isso no nosso dia a dia. Pra vocês verem o quanto é importante viajar e sair da rotina, não que ela não seja importante, pelo contrário, ela é que nos faz valorizar estes momentos que muitas vezes deixamos de lado por causa da correria.
Noite tranquila, ainda bem, porque no dia seguinte faríamos um “water trekking”, trata-se de um passeio que estará disponível nos próximos 20 dias. É um sumidouro do Rio Choroso que foi descoberto pelo Alexandre, formando seis galerias. Não podemos considerar que é uma exploração de caverna porque não tem espelhotema (formação de estalaguitite e estalaguimite comuns nas cavernas), mas fomos todos equipados com capacetes e lanternas para fazer o passeio que dura mais ou menos 50 minutos. Para nossa surpresa invadimos a casa de um morceguinho que estava tirando a sua soneca matinal. No fim ele não nos incomodou, mas confesso que me senti incomodada com a presença dele ali. Mas o que estou dizendo? Quem invadiu fomos nós e não ele. Foi muito divertido, tivemos que passar por diversas fendas, molhar os pés, andar de cócoras como o Alexandre “Smigol” (personagem do Sr. dos Anéis), e eu era a Smigol fêmea, a mais nova personagem de Pedra Bela. Agora o mais divertido mesmo foi andar na Variant Tunada do Alexandre. A segunda marcha era o máximo que ela conseguia engatar. Mas não se assustem, o passeio oficial será com uma Rural devidamente preparada e terão dois guias para até 10 pessoas e o valor será R$ 60,00 com transporte, guia e equipamentos. O ideal é ir com roupas e sapatos velhos e dependendo da época do ano a água bate na cintura. Como a natureza é sábia, a água sempre vai pelo lugar mais fácil, então pode ser que algumas galerias estejam cheias e o caminho tenha que ser desviado.
Final de domingo, hora de vir embora e deixamos de conhecer alguns locais, como a casa onde foi gravada a primeira novela da Tupi, o Homem e o Lobisomem, outra casa que foi construída por escravos, além de três cachoeiras. Puxa vida, acho que teremos que voltar.
Pedra Bela é um lugar muito pequeno e de muita simplicidade, não é indicado para quem está procurando luxo e agitação, mas para quem quer ter contato com experiências simples. A cidade não tem muita infra-estrutura para atender o turista, pois conta somente com dois restaurantes, algumas pequenas sorveterias, além de três pousadas. O que geralmente acontece é que as pessoas vêm para passar o dia ou aproveitam para fazer à tirolesa e conhecer a região, portanto, se você quiser ficar por aqui é bom ligar e reservar. Lembrando que viajar é ter estado de espírito, aproveitar para tirar o melhor de cada lugar e com isso aprender a respeitar o local, as pessoas e suas tradições.
Inté.


   


COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo são apenas 120 quilômetros até Pedra Bela, pela Rodovia Fernão Dias até Bragança Paulista, depois siga pela Rodovia Capitão Bardoino e Rod. José Bueno de Miranda.

ESTRADAS

Na Fernão Dias é aconselhável sempre redobrar a atenção, devido ao grande movimento de caminhões, mas daí pra frente às estradas são perfeitas para motos, curvas bem desenhadas, asfalto bom, poucos caminhões e visual muito bonito.

O QUE FAZER

A principal atração de Pedra Bela é a Mega Tirolesa de 1900 metros, a Maior Tirolesa em cabo único do mundo, que pode chegar a uma velocidade de até 110 km/h dependendo do peso da pessoa e das condições do vento.
Logo na entrada da cidade fica a base da tirolesa, onde você pode comprar o ingresso e embarcar na Van que te leva até o alto da Pedra Bonita, ou melhor, até a base dela, porque dali até o topo da pedra a escadaria é por sua conta.
Chegando lá em cima, primeiro recupere o fôlego, depois se quiser, tem até uma capelinha para fazer suas preces e pedir proteção. Aprecie um pouco a vista maravilhosa de toda a região enquanto um dos monitores faz a última checagem do equipamento e te engata no cabo de aço, agora crie coragem, respire fundo e saia correndo... UHUUUUUUUUUUUU
É muito gostoso, pena que acaba logo, assim que a gente chega na base da vontade de subir de novo e fazer tudo outra vez. E vale a pena, pela emoção, pela beleza do visual e porque na segunda vez é mais barato.
Se preferir esperar baixar um pouco a adrenalina, você pode ficar assistindo o treino de MotoCross na pista que fica bem embaixo do cabo da Tirolesa.
Outra atividade que está sendo implantada pelo Alexandre, proprietário da Pousada Alma de Pedra e da Mega Tirolesa, é o Water Trekking.
Trata-se de uma incursão sob algumas rochas, por onde passa o rio choroso, você pode ter a experiência de visitar algumas pequenas cavernas, com direito até a ver morcegos, atravessar por pequenas fendas nas rochas com água às vezes até a cintura, tudo isso sempre acompanhado por guias.
Além dessas atividades ainda existem algumas cachoeiras pela região, mas como o nosso tempo estava curto, não fomos. Melhor assim porque temos uma desculpa para voltar a Pedra Bela.

 

COMER & BEBER

Em Pedra Bela não existem muitas opções de restaurantes, mas como a cidade está muito próxima a Socorro e Pinhalzinho isso acaba não sendo problema.
Aliás, em Pinhalzinho, almoçamos no Restaurante Villa Itália, um verdadeiro achado para quem curte uma massa caseira, excelente. É uma ótima dica para um bate-volta gastronômico também. Quem curte sair com os amigos, vai poder rodar por belas estradas da região e conhecer um restaurante de um ex-bombeiro belga (se é que existe ex-bombeiro), muito aconchegante, com atendimento atencioso, comida excelente, bons preços, uma extensa carta de vinhos e de cervejas e pra completar o cara ainda é motociclista também.
Outra boa opção em Pedra Bela é a boa e velha pizza da Pizzaria La Bella, fica bem no centro, não tem como não achar. As pizzas são preparadas em forno a lenha. Uma dica é pedir alguma pizza com champignon, que são produzidos ali mesmo na fazenda da família.

MEUS COMENTÁRIOS

É uma viagem que pode ser feita em um final de semana ou num bate-volta, para quem está em São Paulo ou nas redondezas. De qualquer forma vale à pena conhecer a região pela beleza natural, pelas estradas que são deliciosas e pela aventura e o friozinho na barriga da Mega Tirolesa. E, engana-se quem pensa que pode ser arriscado ou é coisa de louco. Toda a estrutura e operação da Mega Tirolesa são homologadas, seus monitores são treinados e acompanhados pelo próprio Alex, que também ministra os cursos de escalada. Ah, e tem seguro também!
Uma boa dica pra quem quer passar um fim de semana diferente com os amigos é reservar a pousada Alma de Pedra e seguir as dicas do Alex, que é gente finíssima. Eu recomendo.




 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
  Viagem realizada em:
 08/08/2010 a 09/08/2010
  Distância - SP a Pedra Bela
 A 120 km pela Rodovia Fernão Dias
  Horários
 Saída: 9h30
 Chegada: 11h40
  Despesa Combustível
 R$ 50,00
  Despesa Alimentos
 Almoço R$ 80,00 / Jantar R$ 40,00 / Lanche R$ 15,00
  Despesa Hospedagem

 Alma de Pedra Pousada - R$ 80,00 (baixa temporada) - casal
 www.almadepedra.com.br

 Tipo de viagem
 Bate e volta / Final de Semana
 Sites

 www.megatirolesa.com.br
 www.villaitalia.com.br - Restaurante

  Classificação da cidade
 Simples, bem interiorana
 
Moto Modelo
km Percorrido
KgCO2e
Árvores Plantadas
Burgman-Suzuki-400cc
120
11,9760
0,1162
 
clique aqui para voltar ao índice