Versão Garupa
INHOTIM - MG
Versão Piloto
 


Que tal ir lá pros lados das terras do “nhô Tim”? Fica logo ali, só 500 km de São Paulo.
Só quem conhece um bom “mineirês” para entender esta frase.
As terras do Sr. Timoty se transformaram no Instituto Inhotim, localizado no município de Brumadinho em Minas Gerais. E foi lá que fomos explorar as belezas de um Jardim Botânico maravilhoso e as artes contemporâneas que ficam expostas a céu aberto ou em grandes galerias.

Setembro ainda é inverno, mas neste ano as altas temperaturas e a pouca umidade do ar tornam a viagem um pouco cansativa. Depois de 7 horas na estrada, enfim chegamos sãos e salvos, só não nos livramos do excesso de lombadas que tem pelo caminho.
Brumadinho não é turístico, é um município minerador, além de ser uma cidade dormitório é também cheia de caminhões, o que torna o trânsito bem pesado.
Nos hospedamos no hotel mais próximo do Parque, o Estrada Real Palace Hotel, que possui uma boa infraestrutura e o atendimento é perfeito.
Assim que chegamos, por volta das 14hs, pegamos umas dicas com a gerente Mônica e voltamos logo para estrada para conhecer o que tinha de melhor, afinal o tempo era curto e tínhamos que aproveitar o máximo. Fomos conhecer o distrito de Piedade de Paraopeba, a vila é mais antiga que a região de Ouro Preto e provavelmente a Igreja construída ali é mais antiga também.

Seguimos para Palhano para rampa de voo livre (1450m de altitude). Já era finalzinho de tarde e os amantes por liberdade buscavam seu pedacinho no céu. Pés no chão, ficamos ali algum tempo curtindo a paisagem e os aventureiros. Quase 17hs e a fome nos obrigou a descer rapidinho para conhecer o então indicado Restaurante “João do Jorge”, mas infelizmente estava fechado. Fica pra próxima! Tão bem indicado que acabei ficando frustrada e não quis conhecer nenhum outro, apesar de ter muitos pelo caminho. Acredito também que pelo horário, todos estavam fechados, então a dica é: assim que chegar, almoce e depois vá conhecer a rampa de voo livre.

Nosso almoço virou um jantar no hotel regado a muita caipirinha boa, feita com pinga da região. Delicia!
Sábado, depois do café da manhã seguimos para o então cobiçado Instituto Inhotim. Abre às 9h30 e encerra ás 17h30. Como disseram que um dia só é pouco para conhecer os 97 hectares de pura natureza e arte, fomos bem cedo, pois tínhamos só um dia. Hectares, o que é isso para nós leigos? Melhor dizer que corresponde a 97 campos de futebol. Já imaginou ter que andar tudo isso? Não se assuste, para isso existem os carrinhos elétricos que nos levam nas galerias mais distantes. Vamos detalhar para facilitar: Valor do Ingresso por pessoa – R$ 20,00. Passe livre para usar os carrinhos + R$ 20,00. Se quiser, eles alugam o veículo com motorista. Se estiverem em turma vale à pena, caso contrário não. O Instituto realiza dois passeios gratuitos monitorados, um pela manhã e outro à tarde. Não deixem de fazer pelo menos um deles, pois é super válido. Os monitores são fundamentais para pegar explicações sobre o parque e esclarecer suas curiosidades, como por exemplo, se é uma instituição governamental ou particular. Pela explicação é uma OSCIP – Organização da Sociedade Civil de Interesse Público. Percebi que o investimento é realmente levado a sério, porque o local é de beleza exuberante e com uma infraestrutura de primeiro mundo. Além disso, existe os “Amigos de Inhotim”, onde qualquer pessoa pode contribuir mensalmente para a manutenção do instituto. Vale a pena se informar. Agora chega de explicações técnicas, afinal de contas arte e natureza não se explicam tecnicamente.
Sempre que viajo ou passo por experiências diferentes, gosto de extrair ao máximo o lado sensorial e perceber o quanto implica no meu emocional. Inhotim é simplesmente um lugar fantástico. Não tem como passar por ali e não se emocionar. Não precisa entender de arte, aliás, arte não se entende, se sente. Como sou apaixonada pela natureza, fiquei emocionada em ter a certeza que o homem tem todas as possibilidades do mundo, a de destruir, a de construir e a de criar. As artes não estão só nas galerias ou expostas pelo jardim, a arte esta na capacidade do homem de muitas vezes fazer melhor o que já existe. O paisagismo, pra mim, é a maior obra deste espaço. A harmonização das cores, a distribuição dos elementos e a composição química são tão elaboradas que chega beirar a perfeição. Mas o que é perfeito? Perfeito foi ter a oportunidade de conhecer este lugar e aprender muito sobre a natureza, arte e o ser humano.
Algumas artes, como por exemplo, a da Galeria da Praça - Janet Cardiff- por alguns minutos mexeu com quase todos os meus sentidos. Não tem como dizer esta é a mais bonita ou interessante, vai depender muito do estado de espírito de cada um.
Vale à pena avisar que se quiser ir com roupa de banho, pode ir, porque algumas obras, como por exemplo, a do Helio Oiticica é permitido interagir. A galeria dispõe de vestiário e toalhas de banho para depois de um mergulho na arte.
O instituto possui restaurantes para todos os gostos e bolsos, mas não tivemos tempo de degustar esta arte, quem sabe uma outra vez.
Fizemos o máximo que pudemos e temos certeza que faltaram algumas coisas. Umas porque estavam em manutenção e outras por causa do pouco tempo. Mas o instituto pode e deve ser visitado outras vezes. Galerias novas estão sendo construídas, shows são apresentados no final de tarde e sem contar com a arte da preguiça, onde é só sentar ou deitar e simplesmente relaxar.

Domingo, dia de voltar e perceber que a bagagem ficou um pouco mais pesada do que quando chegamos.
Voltar para casa com novas experiências e conhecimentos me faz acreditar, cada vez mais, que é o que levamos dessa vida.

Não deixem de testar sempre os seus sentidos, esta é a arte de viver.

 

   


COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo pela rodovia Fernão Dias são 550 km até a cidade de Brumadinho.

ESTRADAS

A Fernão Dias é uma rodovia que merece bastante atenção em quase toda sua extensão, pelo grande número de caminhões que trafegam, pelo excesso de curvas, que em muitos casos, foram muito mal desenhadas e construídas e a perigosa circulação de pedestres, ciclistas e veículos dos municípios que beiram a rodovia. Mas, uma coisa não falta, praças de pedágio. Até Brumadinho são 8 (oito), e motos pagam tanto na ida como na volta, setenta centavos em cada passagem.

O QUE FAZER

Inhotim fica na cidade de Brumadinho que por sua vez fica distante cinqüenta quilômetros de Belo Horizonte.
Brumadinho é uma cidade com vocação para a mineração, mas se a gente garimpar um pouco pela região também encontraremos alguns pontos de interesse turístico para visitarmos.
Como saímos de São Paulo numa sexta-feira bem cedo, chegamos em Brumadinho por volta das 14hs. Demos de cara com o Estrada Real Palace Hotel que havíamos reservado, o que é ótimo, porque depois de quase sete horas de estrada nada como um demorado banho para restabelecer as energias.
Para aproveitar a tarde fomos conhecer um pouco da cidade e assistir o pessoal voando de paraglider no topo do céu.
No sábado após um reforçado café da manhã no hotel, fomos para nosso destino principal dessa viagem, Inhotim, um enorme jardim botânico com 786 ha de área total, com belíssimos lagos ornamentais e jardins com inúmeras espécies de plantas, que só por toda a beleza e o cuidado com cada detalhe já valeria a visita.
Mas, Inhotim é muito mais do que isso, é também um grande museu de arte contemporânea a céu aberto, com obras e galerias espalhadas por todos os cantos, em perfeita harmonia com os jardins inspirados em Burle Marx.
Tudo isso com uma excelente infraestrutura, desde o estacionamento até a recepção já se nota a grandiosidade e o cuidado com os detalhes.
Como é uma área muito grande algumas obras e galerias podem ser visitadas a bordo de carrinhos elétricos, o que facilita muito a nossa vida, vale à pena.
Para aqueles que não dispensam uma pausa para o almoço, não é necessário nem sair do parque para isso, existem restaurantes e lanchonetes muito bem recomendados.
Ah! Uma dica importante e que não sabíamos, existem duas obras que você pode interagir entrando nas piscinas, pena que não levamos um calçaozinho de banho.
Mas, para compensar, depois de um dia inteiro caminhando é hora de voltar, tomar uma caipirinha e relaxar um pouco na bela piscina do hotel.

Até a próxima!


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Viagem realizada em:
 30/08/13 a 02/09/13
 Tipo de viagem:
 Feriado
 Quilometros Rodados
 1100Km (ida e volta)
 Despesa Hospedagem

 www.hotelbrumadinho.com.br/home/
 Baixa temporada diária aprox. R$ 240,00 (LUXO)
 (31) 3571.3521 | 3571.1031 | 3571.3189 | 9721.9661

 Despesa Combustível
 R$ 210,00 / Pedágio ida e volta - R$ 11,80
 Despesa Turismo  Entrada do Instituto-R$ 20,00pp - Bilhete carro elétrico R$ 20,00pp
clique aqui para voltar ao índice