Nordeste – BR / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a terceira de uma série de viagens que fazemos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro e nosso amor pelas duas rodas.

A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

Nesse roteiro pensamos em desvendar um pouco de alguns estados do nordeste brasileiro, que ainda não conhecíamos.

Nossa base, onde ficamos hospedados e também trabalhamos foi na Ilha de Itamaracá, a 40 km de Recife em Pernambuco.

Claro que seria mais rápido, mais fácil e até mais barato se fossemos de avião, mas como gostamos de ir conhecendo todos os sotaques, todas as comidas e todas as pessoas de cada lugar por onde passamos, a moto é sempre a melhor opção.

Partimos de São Paulo no dia 21/12/19 e nosso primeiro destino foi na simpática cidade mineira de Diamantina. Depois de rodar 850 quilômetros nada melhor do que jantar uma típica comida mineira ao som de uma fanfarra regional.

Depois de uma merecida noite de descanso seguimos rumo a Jequié na Bahia, mais 800 quilômetros e mais um jantar típico, desta vez na praça principal da cidade.

Depois de atravessar todo o estado da Bahia, nossa próxima parada foi na capital de Sergipe, onde resolvemos passar mais um dia para conhecer um pouco mais da bela Aracaju.

Dia 25/12 em pleno dia de natal, partimos para o Manga Verde Beach Residence na Ilha de Itamaracá, onde “moraríamos” por 21 dias. Depois de quase três mil quilômetros, atravessando parte do estado de São Paulo, Minas Gerais, Bahia, Sergipe, Alagoas chegamos em Pernambuco, a terra do frevo e do maracatu.

Nossos anfitriões, que nos receberam e sempre nos trataram com muito carinho, foram Anthony e Stephanie, ambos fotógrafos, ele Belga e ela de Madagascar, que desenvolveram um projeto incrível, fotografando crianças em escolas em 193 países. E o pequeno e incansável Lenny de sete anos.

O Manga Verde é um residencial composto por 16 apartamentos completos e muito confortáveis, de frente para o mar, localizado estrategicamente de cara pra onde a lua nasce, vixe é lindo.

Nosso trabalho era ajudar na preparação dos apartamentos para os próximos hospedes e cuidar e brincar com Lenny, o incansável rsrs.

Nossas tarefas levavam em torno de 4 às 5hs, depois disso tínhamos o dia livre para aproveitar as praias quentes da ilha, um pouco de piscina e os animados happy hours que promovíamos todos os finais de tarde em companhia de nossos amigos e também voluntários, da Argentina Júlio, da Bélgica, Lilé e Oscar e do Brasil Elaine e Ximena.

Em nossos dias de folga aproveitamos para conhecer as praias e o centro histórico de João Pessoa, na Paraíba. Além de Olinda, Recife e suas praias.

O bom do nordeste, pra quem gosta de praia, é que por aqui é sempre verão, durante toda nossa permanência tivemos zero chuva, enquanto no sudeste o céu desabava nas tradicionais chuvas de verão.

Outro destaque é a receptividade do povo nordestino, sempre fomos muito bem recebidos pelos moradores locais, frases como bom dia, boa tarde costumam ser rotineiras por aqui, coisa muito simples, mas que parece até que saiu de moda nas nossas grandes capitais, uma pena.

Concluindo, essa foi mais uma viagem Motoa2 / Workaway muito especial, não só pelas belezas naturais do nordeste brasileiro, não só pelos lindos dias de verão, nem só pelas fantásticas noites iluminadas por uma lua maravilhosa, mas principalmente por ter tipo o privilégio de conviver com pessoas que ficarão para sempre em nossas lembranças.

Viajar é colecionar estórias e cultivar novos amigos.

Obrigado, por mais uma vez, nos colocar no lugar certo, na hora certa e com as pessoas certas.

Portugal 5 / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a segunda de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

...Continuando nossa viagem a Europa, nosso quinto destino Workaway foi a Quinta da Candosa em Côja – Portugal. O retorno.

Quinta da Candosa foi nosso primeiro destino nessa viagem a Europa e como diz o ditado, “o bom filho a casa torna”.

Como acabamos fazendo muita amizade com nossa anfitriã Dominique, resolvemos encerrar nossos três meses de Europa passando os últimos quinze dias em Côja, na região de Coimbra e aproveitar para passear por Lisboa, Ericeira, Estoril, Cascais, Cabo Roca.

Foram três meses onde conhecemos grande parte de Portugal e Espanha. Três meses que também trabalhamos bastante e certamente contribuímos para melhorar a vida de algumas pessoas. Três meses convivendo intensamente com canadenses, holandeses, franceses, bascos, ingleses, portugueses, espanhóis e até uruguaios. E como sempre, Deus atendeu meus pedidos e colocou em nossos caminhos pessoas do bem, amigos que ficaram para sempre gravados em nossas memórias.

Muito obrigado Dominique, Jurry e Marga, Pierry, Joaquinha e Andressa, Amy, Patrick, Sophie e Lucy.

 

VEJA TAMBÉM OUTRAS FOTOS DE LUGARES QUE VISITAMOS DURANTE ESTE PROJETO

Espanha 4 / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a segunda de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

...Continuando nossa voagem a Europa, nosso quarto destino Workaway foi na maravilhosa ilha de Mallorca – Espanha.

Dessa vez nossos anfitriões eram ingleses, o casal Amy e Patrick e as pequenas Sophie e Lucy. Ficamos hospedados em uma confortável suíte em sua casa em Puigpunyent, uma pequena vila a 15 quilômetros de Palma.

Dessa vez nosso trabalho era ajudar na renovação da casa, pintura das paredes, jardinagem e brincar com as duas loirinhas mais simpáticas e amorosas que conhecemos Lucy e Sophie. E, durante as noites ficar sentado no jardim observando a lua, se deliciando com os jantares preparados pela Amy e conversando sobre nossas vidas.

A ilha de Mallorca é um destino imperdível na Espanha, tivemos a sorte de ficar nesse paraíso por 17 dias.

Pegamos o ferry em Valência e depois de 9 horas de viagem chegamos em Palma, que é a porta de entrada da ilha, com toda a infraestrutura de grandes cidades, mas com o charme de um balneário.

Em nossas tardes e finais de semana de folga aproveitamos para conhecer grande parte da ilha e lugares difícil de descrever em palavras, as fotos dispensam comentários. Lugares como: Galilea, Esporles, Andratx, Sant Elm, Valdemossa, Sa Calobra.....

 

Espanha 3 / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a segunda de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

...Continuando nossa voagem a Europa, nosso terceiro destino Workaway foi em Atzeneta de Maestrat, na região de Castellon, Valência – Espanha.

Conhecer Pierre e Joaquina foi incrível. Trabalhar para eles foi muito prazeroso. Toda alegria já começava pela manhã quando tomávamos café. Parecíamos uma grande família. Além do casal anfitrião tivemos o prazer de conviver também com Alessandra, uma menina uruguaia que também estava hospedada como voluntária e acabou se tornando nossa filha de estimação.
As refeições eram feitas todas juntas e neste momento todos contavam suas experiências de vida. Adoramos ouvir pessoas inteligentes e sensíveis. Apesar de poucos dias, parecia que já nos conhecíamos há anos. Realmente é uma proposta workaway. Aprender sobre a cultura basca, francesa e uruguaia foi engrandecedor.

Joaquina preparava maravilhosamente as refeições e quando chegávamos à mesa todos nós estávamos entusiasmados para comer suas delicias. Foi uma oportunidade para apresentar um pouco do Brasil e mostrar que também temos coisas muito boas. Esperamos ter incentivado a conhecer nosso País e um dia vir nos visitar em São Paulo e continuar trocando experiências incríveis. Muito difícil colocar em palavras o que vivenciamos nestes 15 dias. Deixa-los nos causou muita tristeza, deu vontade de ficar mais para agradecer o que aprendemos. Não podemos deixar de falar de Pico, um cachorro da raça Boxer que entende quatro idiomas, francês, espanhol, basco e o dele, é claro. Parceiro, amigo, carinhoso, não é à toa, foi educado por Pierre e Joaquina.

 Os passeios juntos eram sempre divertidos, uma extensão dos nossos dias de trabalho.

Obrigada Pierre e Joaquina por nos receber com tanto carinho e ternura. Uma grande amizade com certeza nasceu deste projeto.

Ah! Quase me esqueço de falar que aproveitamos também para conhecer alguns lugares como Ares de Maestrat, Cordoba, Valência, Sevilha...

 

Portugal 2 / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a segunda de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

...continuando nossa viagem a Europa, nosso segundo destino Workaway foi em Oliveirinha do Hospital, distrito de Coimbra, no centro de Portugal.

Nosso trabalho e hospedagem foi na Quinta do Retiro casas de férias e campismo, de propriedade do casal holandês Jurry e Marga, que nos recebeu com muita simpatia, durante 15 dias moramos numa confortável casa com varanda e até sauna.

Jurry e Marga sempre foram extremamente corretos com o horário de trabalho, todos os dias começávamos as 8:30 com uma breve reunião onde Jurry passava quais as tarefas do dia (cortar a grama, limpar as parreiras, cuidar da horta, cuidar da piscina etc.) e no máximo as 13:30 Jurry fazia questão que parássemos de trabalhar porque o combinado era de 4 a 5 horas por dia.

Algumas noites eram destinadas ao intercâmbio cultural Brasil / Holanda / Portugal. Nessas noites fazíamos um jantar típico brasileiro ou eles faziam um jantar típico holandês ou até mesmo japonês e conversamos sobre como é viver no Brasil, na Holanda e em Portugal.

Durante as tardes de folga e nos finais de semana aproveitávamos para conhecer as pequenas cidades de povos da região. Bem próximo de Oliveirinha ficava Bobadela uma pequena Vila de mais de dois mil anos. Serra da Estrela, onde são fabricados os famosos queijos e outras pequenas cidades que ficaram para sempre em nossas lembranças, como Avô, Tábua, Tondela, Caramulo.....

....e continuamos

 

Portugal 1 – Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a segunda de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, que poderá ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de se filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem e alimentação.

Nossa segunda experiência foi na Europa.

Chegamos em Lisboa e não dá para não se encantar com essa maravilhosa cidade.

Mas nosso primeiro destino Workaway foi na região do Dão, mais precisamente numa pequena aldeia de pouco mais de três mil habitantes chamada Côja, mais precisamente ainda em Vinhó (distrito de Côja), com uns 200 habitantes, se muito. Na Quinta da Cardosa da canadense Dominique Debra, que no final das contas virou nossa grande amiga.

De Vinhó partimos para conhecer muitas aldeias e cidades da região de Coimbra.

Essa região no centro de Portugal é exatamente o que sempre sonhei conhecer na terrinha. Pequenas aldeias com a maioria da população adulto+, pequenos e poucos cafés, onde se contam as histórias, toma-se vinho ou cerveja e espera o tempo passar. Esses lugares parecem uma pintura óleo sobre tela, lugares belíssimos com pessoas calejadas pelo trabalho na agricultura, em aldeias com até dois mil anos de história.

Um parágrafo a parte nessa viagem foi poder assistir ao vivo e em cores a etapa Portugal do Mundial de Rally, nunca pensei que fosse ter esse privilégio, mas para minha surpresa uma das etapas foi em Arganil, uma cidade vizinha a Côja.

Simplesmente fantástico, é uma verdadeira festa não só para os moradores da região, mas para europeus de vários países que seguem a caravana do rally.

Outro parágrafo relevante é a nossa volta a Lisboa para comprar a nossa Burgman 400, companheira de aventura pela Europa nos próximos três meses. Vale um agradecimento especial a Dominique, que nos ajudou com todo o trâmite burocrático e ainda nos deu uma carona até a capital. E ainda proporcionou nossa primeira experiência vegana, que para nossa surpresa foi muito boa, no restaurante Miss Saigon em Lisboa.

Dominique ainda vive o trauma do grande incêndio que tomou conta de toda essa região em 2017.  Por isso quer vender a Quinta e comprar outra em Ericeira, região litorânea próxima a Lisboa.

As histórias que as pessoas contam são assustadoras, muitas delas perderam tudo o que tinham e outras infelizmente perderam a vida porque não tinham como fugir do fogo que tomou conta de toda a floresta.

Nosso trabalho na Quinta da cardosa era deixar tudo pronto e bonito para a visita de uma possível compradora que viria de Londres em uma semana.

Tarefa nada fácil, trabalhamos dia e noite, mas em uma semana conseguimos deixar a Quinta “Tanto Bonita” – Palavras da canadense Dominique se esforçando no Português.

E no dia da tão aguardada visita, a digníssima senhora inglesa desistiu da visita e da compra.

Sem palavras, melhor nem falar nada.

Mas nosso esforço não foi em vão, além de deixarmos a charmosa Quinta da cardosa ainda mais charmosa, ficamos com a semana seguinte livre para visitarmos muitas cidades da região, como Coimbra, Aveiro, Porto, Ericeira além de alguns lugarejos fantásticos como Piodão.

.... E nossa aventura pela Europa continua.

 

Pucón / Workaway

Para quem acompanha nossas viagens e está acostumado com as nossas narrativas, essa é a primeira de uma série de viagens que faremos em outro formato, mas sem perder nosso espírito aventureiro, nosso amor pelas duas rodas e um pouquinho do nosso “Indian Program”.
A partir de agora sempre que você ler /workaway ao lodo do título será uma viagem de voluntariado, intercâmbios, que poderão ser cultural, homestay, farmstay, working holiday, aprendizagem de idiomas, assistencial, ou o que vier pela frente.
Você deve estar se perguntando, mas o que é Workaway?
Literalmente é trabalhar fora, mas é também a principal comunidade do mundo para viagens sustentáveis e intercâmbio cultural.
Depois de filiar a esse site, você tem acesso a milhares de lugares em todos os cantos do mundo, onde poderá se oferecer para algum tipo de trabalho em troca de hospedagem.

Nossa primeira viagem de moto para fora do Brasil foi em 2008 para Pucón, terra do seletivo e sentimental vulcão Villarrica, que dessa vez não permitiu que chegássemos ao seu cume. Mas, como somos teimosos e persistentes, quatro anos depois, em 2012, conseguimos realizar esse sonho, atingir o cume do encantador vulcão Villarrica. E mais, sete anos se passaram e em 2019 voltamos para rever nosso velho amigo. Talvez por isso escolhemos Pucón para ser nossa primeira experiência de voluntariado.

Nos oferecemos como voluntários por 21 dias no hostel Okori em troca de hospedagem e alimentação. Trabalhamos fazendo um pouco de tudo, desde receber e apresentar o hostel para os novos hospedes de toda parte do mundo que chegam todos os dias, até arrumação dos quartos, limpeza em geral e cuidar dos “perros”.
No restante do dia e nos finais de semana aproveitávamos para conhecer alguns lugares maravilhosos, como vocês podem ver pelas fotos.

O Parque Nacional Huerquehue fica a 170 km de Pucón e é imperdível! Fica dentro das cordilheiras dos Andes, com muitas trilhas, muitos lagos verdes e azuis, com águas de degelo cristalinas que descem das cordilheiras. Para quem gosta de acampar esse é o lugar. Imagine montar sua barraca num lindo gramado a beira de um lago maravilhoso, cercado de montanhas e pra complementar a noite, um céu absolutamente forrado de estrelas.

Outro lugar que vale a pena conhecer é Ojos de Caburga, fica a 15 kms de Pucón e pra quem gosta de pedalar, a bicicleta é uma ótima opção para chegar lá.
Estando em Pucón, é claro que não se pode deixar de ir até a base do vulcão Villarrica. Outra parada obrigatória é apreciar o por do sol na prainha e depois passear pelo centro da cidade.
Como tudo na vida tivemos alguns perrengues, mas isso ajuda a entender melhor a vida e enfrentar os desafios. Adoramos conhecer pessoas de vários países, como Estados Unidos, Inglaterra, França, Alemanha, Chile, Argentina e até os nossos novos amigos, um casal de brasileiros da pujante cidade de Contenda-PR. Ele ruivo e Ela loira, viajando numa Kombi vinho em lua de mel pela América do Sul por seis meses.
Nossos Hijos de Caburga, Carlito & Flavinha, condecorados também com a medalha de honra ao mérito do “Indian Program”.

Agora só espero um dia rever nossos amigos nacionais e internacionais enquanto aguardamos pela próxima trip  que já está no gatilho.

Até lá!

 

<