Versão Garupa
SERRA DA CANASTRA - MG
Versão Piloto
 


Estive na Serra da Canastra a 15 anos atrás. É impressionante como as coisas mudam.
Minha dica inicial é: Vão logo antes que este local cresça demais.
Minha primeira experiência foi de carro e por uma estrada de terra que era muito perigosa. Demorava horas para chegar. Como a cidade mais próxima do parque não tinha estrutura, muito diferente de hoje, não dava para aproveitar quase nada. Era chegar e praticamente ter que voltar, principalmente porque eu me hospedava no Glória, que é uma cidade próxima de lá.
Quanto a minha mais nova experiência que foi ir de moto e depois de tanto tempo, posso dizer que curti muito. Tem uma frase dos ciclistas que eu gosto muito, ¨Quem tem pressa no máximo vai de bicicleta¨, que neste caso serviria para dizer o seguinte ¨Quem não tem muito tempo, mas quer curtir a paisagem, vai de moto¨. Realmente a gente tem uma outra visão, principalmente porque eu vou na garupa fotografando tudo que vejo pela frente. Não é uma viagem muito confortável, pois são horas e horas de estrada, mas que pela paisagem vale muito a pena. Só para ter uma idéia, fomos direto, parando apenas para abastecer. Esta é uma das vantagens da V Strom, que é uma moto super confortável também para a garupa. Minha outra dica para quem quer conhecer somente a Serra da Canastra, o mais aconselhável é hospedar-se em São Roque, que hoje em dia tem boas opções de pousadas, como por exemplo, a Pousada Barcelos. Pelo menos estava lotada no feriado, e mais uma dica, ir para o parque bem cedo.
Pela manhã e final de tarde é possível ver alguns animais da região como o Tamanduá Bandeira, avestruz, onça do mato.
O mês de outubro não é muito bom para visita, pois é um período de seca e tem muito pó na estrada.
Essa talvez seja a dica principal: apesar de adorarmos andar de moto, este não é um passeio para o tipo de moto que temos. Em são Roque tem algumas empresas que realizam passeios 4x4, o melhor é contratá-los, a não ser que se vá de moto de trilha, aí sim o passeio ficaria mais legal ainda, mas não esqueça, só é permitida a entrada de moto no parque se estiver com placa e documentação em ordem. Caso contrário, nem tente.
Para entrar no parque tem que pagar uma taxa de R$ 3,00 por pessoa. No caso dos carros, são todos vistoriados quando entram e saem. Não é permitido retirar nada, nem se quer uma pedrinha. Obedeçam, pois a multa é altíssima.

Para quem não sabe, lá fica a nascente do Rio São Francisco, o velho Chico como é mais conhecido. Esta é a parte mais visitada do parque, logo em seguida vem à primeira cachoeira a Casca D´Anta, esta é a mais próxima da portaria 1, que foi a que nós entramos. O parque é imenso é tem 03 portarias. Tem uma estrada que corta o Parque que tem 60 km. Agora vocês entendem porque tem que chegar cedo? Tudo no parque é muito distante um do outro. Quando falei que de moto é complicado, é que temos que pensar na ida e na volta e com a estrada ruim, fica muito complicado.
Como o calor era imenso, resolvemos tirar a jaqueta com as proteções, que em alguns casos é uma besteira e neste caso era, pois tinha muita terra fina solta e a região é cheia de pedras. Imagina um tombo ali. É interessante como com o tempo o entrosamento entre piloto e garupa fica mais afinado, pois pensamos ao mesmo tempo que deveríamos parar e colocar as jaquetas. Outra coisa que percebi naquela situação sem volta é que nós garupas somos muitos corajosos mesmo.
Dentro do parque não é vendido nada, então não esqueça de levar um lanche e muita água, pois apesar de estar na nascente de um rio, não é permitido pegar água.

Infelizmente não conhecemos boa parte do parque por causa do horário que chegamos e da dificuldade que foi andar de moto lá dentro. Muitas das informações que consta aqui foi por causa da gentileza das pessoas do Ibama, Denílson A. de Faria e do Elídio Costa.

Pelo que percebi são pessoas da região com muitas histórias para contar, mas como o tempo era curto, ficamos de voltar outro dia. Muito em breve com certeza.

 

   


COMO CHEGAR
A 530 Km de S. Paulo pela Bandeirantes ou Anhanguera até a Dom Pedro sentido Mogi Mirim / Mogi Guaçú / Casa Branca / Mococa / Arceburgo / S.Sebastião do Paraíso / Itaú de Minas / Passos / Furnas / Capitólio / Piumhi / São Roque de Minas.

ESTRADAS
Anhanguera ou Bandeirantes ótimas, a Dom Pedro é uma das estradas paulistas que eu acho mais simpática. A partir da divisa de SP / MG a coisa muda de figura, ou melhor, muda de asfalto, obrigatoriamente você tem que reduzir bastante a velocidade, não só pelos buracos, mas também pelas deformações na pista, algumas no meio da curva que se você não estiver esperto te empurra para o lado de fora. Por isso, se puder, evite esse trecho a noite ou com chuva.
O acesso até o Parque da Serra da Canastra é por estrada de terra, que dependendo da época do ano pode ser mais ou menos complicado, como o próprio nome já diz, é Serra muitas subidas e descidas. Fomos em Outubro, mês de seca, portanto muita pedra solta e areão pelo caminho. Ideal para uma moto de trilha, agora para uma moto Big Trail com garupa e pneus de uso “misto”, não é muito fácil. Se você não tiver um pouco de experiência em pilotagem off-road, nem uma moto adequada, acho melhor contratar um passeio de 4x4. 

O QUE FAZER
Com certeza de moto ou de 4x4 dá pra você passar o dia passeando pelo parque da Serra da Canastra, você pode conhecer desde a nascente do Rio São Francisco, até algumas refrescantes ou congelantes cachoeiras, vai depender da época que você for, mas sem dúvida a paisagem é muito bonita. Vale a pena conhecer.
 

COMER & BEBER
Um bom lugar para apreciar uma comidinha mineira, e depois descansar numa rede debaixo de uma gostosa sombra antes de encarar o Parque é o Restaurante Girassol, não sei o nome da rua onde ele fica, mas é fácil de achar, no caminho para a entrada do parque tem um cemitério, fica a 100 metros e tem placa indicando. Além da comida ser boa os donos são muito simpáticos, e aproveite para pedir umas dicas de passeio.
Saindo do parque nada com dar um mergulho numa garrafa de Gatorade, porque depois a noite promete. Promete que você vai comer e dormir que nem uma criança.
 

MEUS COMENTÁRIOS

É uma viagem legal para pelo menos três dias, além de ser um pouco distante de SP, tem muita coisa para ver e fazer. Gostei muito de conhecer Furnas, a estradinha que leva até a barragem é bem gostosa de pilotar, muito bem pavimentada (nem parece que é em Minas) e a paisagem é linda, pena que a comporta estava fachada, aberta deve dar um espetáculo a parte. E por todo caminho até chegar à entrada do Parque você vai passando por cidadezinhas que dão vontade de parar nos botecos pra tomar uma e ficar conversando sentado no calcanhar. Como chegamos à entrada do Parque perto do horário do almoço, o Restaurante Girassol caiu como uma luva. Depois de descansar um pouco foi a vez de encarar o parque. Não caia nas conversas dos mineiros, é tudo longe pra caramba a primeira cachoeira esta a 21 km, por isso vá preparado, não esqueça de levar água, se não você pode criar um tijolo na boca com tanta poeira, cada vez que cruzar com um carro. Ah, outro detalhe, se sua moto não for trail e os pneus forem para asfalto, baixar a calibragem ajuda. É bom lembra que essa é uma viagem para quem tem espírito de aventura. Ainda bem que eu tenho e assino embaixo.


 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Distância SP - S. Canastra
 
 A 530 Km de S. Paulo
Tipo de viagem
 
 Final de Semana / Feriado
 
Viagem realizada em:
   Outubro/2007
Sites
 
 www.serradacanastra.com.br
 
clique aqui para voltar ao índice