Versão Garupa

CAMBARÁ DO SUL / RS CANYONS

Versão Piloto
 


Certa vez ouvi numa reportagem de que as pessoas das grandes metrópoles perdem 27 dias do ano no congestionamento. Quase as férias de um ano todo de trabalho. Fim de tarde, saindo de São Paulo rumo a Curitiba isso se confirmou, eram tantos carros e caminhões que fiquei super feliz de estar de moto. E olhe lá que foi bem difícil driblar o transito.  
Optamos em dormir em Curitiba e seguir para Cambará do Sul no dia seguinte bem cedo. Ótima escolha, pois se tivéssemos feito em um dia inteiro não seria possível chegar, devido às condições do tempo e das estradas.
Café da manhã em Mafra com direito a cuca (bolo típico da região), uma delícia!
Pensei que não teria quase nada para contar de um dia só de estrada, mas engano total, tantas coisas aconteceram que não posso deixar de relatar.
A previsão era de chuva até sexta feira e mesmo assim resolvemos acreditar no nosso pé quente e seguir adiante, afinal, há muito tempo que tentamos ir para o Sul e não seria isso que iria nos impedir.
Tínhamos duas opções, BR 116 e BR 101, como estávamos experimentando uma moto nova, GS Adventure, resolvemos ir pela BR 116 que é um pouco mais longo. Estávamos indo muito bem quando de repente começa a chover antes mesmo de chegar a Vacaria. Pra nossa sorte, tinha um posto e paramos para colocar a capa de chuva. Achava que estava quase chegando, mas na realidade estava um pouco longe ainda. A chuva não dava trégua, mas apesar disso eu estava gostando, senti que finalmente iria conhecer o Sul como ele é, e afinal de contas, quando se está viajando tem que estar pronto pra tudo e saber curtir, aquela velha história, se te dão o limão, faça uma limonada.
Chegando em Bom Jesus, nos deram a dica de ir até São José dos Ausentes (+40km) que também é uma cidade turística e pegar uma estrada de terra de aproximadamente 50km. Não tinha placa nenhuma indicando Cambará do Sul, então resolvemos parar num posto de informações turísticas que fica bem na entrada da cidade. Lá nos aconselharam ir por Alziro Ramos, devido ao mal tempo e ao horário, e disseram que seriam mais 165km de asfalto até Cambará. Tivemos que voltar até Bom Jesus, pois a estrada começava por lá. Não seria desta vez que usaríamos a Adventure na lama, aliás, fugíamos do barro o tempo todo, mas acredito que ela, a moto, tem um poder de atração para este tipo de aventura que no final acabamos errando o caminho e entrando em Jaquirana, onde rodamos mais uns 50km de estrada de terra. Não foi tão ruim assim, a paisagem, as margaridas do banhado, as plantações de maçãs e as pequenas roças fizeram valer a pena. Nunca tinha visto uma macieira, achei uma árvore meio sinistra. Percebi também algo interessante, as casas desta região não tem varanda, no máximo uma pequena cobertura na porta de entrada. São todas de madeira por causa do frio e o quintal é sempre muito bem cuidado, com gramado e muitas flores. Este trecho provavelmente será asfaltado, mas de lá até Cambará eram mais 36km de terra. Voltar nem pensar, enfrentamos. E dá-lhe chuva. Imagina uma estrada ensaboada, agora, coloque mais sabão, era assim que estava o nosso belo trajeto. E nada de placa indicativa. Eu ficava muda, não falava nada, só deixava o piloto dominar a danada, e pelo jeito ele estava gostando. Nenhum tombo, logo a frente vinha o asfalto e quando pensei que tudo tinha acabado, de repente, uma vaca cruza a nossa frente. Ufa, nossa sorte é que estávamos devagar. Rumo ao Hotel Parador Casa da Montanha, depois de Cambará eram mais 9km de estrada de terra. Pensei, vai valer muito a pena depois de passar por tudo isso. E de fato valeu, o pessoal nos recebeu super bem, estávamos encharcados e cheios de lama e com muito frio, mas logo eles deram um jeitinho e tudo ficou tranqüilo.
Sobre o Hotel, falo amanhã. Não deixem de ler, é muito interessante.

Continua na próxima página...

   


COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo pela BR 116 são 1.006km, mas como saímos de São Paulo às 16:30h resolvemos dormir em Curitiba, foram 400km non stop, graças ao enorme tanque da GS Adventure. Como não conseguimos achar vaga em nenhum hotel acabamos dormindo em um motel mesmo.
No dia seguinte saímos cedo em direção a Cambará, continuando pela BR 116, foram mais 600km de asfalto molhado e 50km de terra, ou barro mesmo.

ESTRADAS

A BR 116, pelo alto fluxo de caminhões, é uma rodovia que normalmente exige muita experiência e atenção do motociclista, mas em caso de chuva esses cuidados devem ser redobrados. E, nas estradas de terra ou barro, dependendo do tempo é bom estar com uma moto apropriada e ter noções de off-road.

QUINTA-FEIRA – Curitiba / Cambará do Sul

Conseguimos driblar a chuva até Lages, mas daí para frente não teve jeito, ela nos acompanhou por todo o tempo, e numa rodovia de pista dupla com muitos caminhões isso exige bastante.
Chegando em São José dos Ausentes fomos pedir informações de como chegar em Cambará, em um posto de informações ao turista. O caminho mais curto seria seguir por 50km por estrada de terra, mas como chovia forte, o conselho foi rodar 165km de asfalto para evitar a terra. Resumindo, rodamos os 165km, mas como pegamos um caminho errado acabamos tendo que rodar 46km por estradas de terra do mesmo jeito, ou melhor, muito pior, porque além da chuva do barro e do frio já estava escuro.
Mas como estamos aproveitando essa viagem para avaliar a BMW GS Adventure para Revista Duas Rodas, esse já foi um bom começo, asfalto seco, asfalto molhado, asfalto muito molhado, terra molhada, barro liso, barro extra-liso, mas a moto é sensacional e foi muito bem em todas as condições, é uma guerreira.
Depois de um dia bem adventure, nada como chegar num hotel de charme, tomar um merecido banho quente, saborear algumas cachacinhas da região pra relaxar e repor as energias num maravilhoso jantar.
Esse foi só o primeiro dia, e começou muito bem.

















































Continua na próxima página...

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
  Viagem realizada em:

 22/09/10 - São Paulo a Curitiba-PR (quarta)
 23/09/10 - Curitiba a Cambará do Sul-RS (quinta)
 24/09/10 - Cambará do Sul-RS (sexta)
 25/09/10 - Cambará do Sul-RS a Florianópolis-SC (sábado)
 26/09/10 - Florianópolis-SC a São Paulo (domingo)

  Quilometros Rodados  2.100 Ida e Volta
  Despesa Combustível- Ida  R$ 174,00 + pedágios de R$ 0,75 e R$ 1,25
 Despesa Combustível-  volta  R$ 150,00 + pedágios de R$ 0,60 e R$ 0,75
 Despesa Alimentos  Ida/Volta  R$ 50,00
 Despesa Hospedagem

 Curitiba - R$ 70,00 (ida)
 Florianópolis - R$ 128,00 (volta)

 Despesa Hospedagem

 Hotel Parador Casa da Montanha- Diaria de R$ 511,00 - pensão completa acima 2 diárias
 Cosultar valores para a algumas datas comemorativas e para cabanas diferentes
 Central de Reservas:(54) 3295-7575
 www.paradorcasadamontanha.com.br

 Despesa Passeios  Coiote Adeventure - http://www.coioteadventure.com.br/
 Contato: (54) 3504-5302 / (54) 9916-3287
 Canyon Itaimbezinho - R$ 80,00pp com ingressos
 Canyon Fortaleza - R$ 90,00pp ou R$ 115,00 com pic-nic
 Aluguel de Land Rover para até 6 pessoas R$ 450,00 - Com motorista, combustível,  pedágio, lanche.
 
 
clique aqui para voltar ao índice