Versão Garupa
BROTAS - SP
Versão Piloto
 


Pensou em Brotas logo se associa “Esporte de Aventura”, mas Brotas é muito mais que isso e fomos até lá para certificar.
Bem próximo de São Paulo, com rodovias excelentes para pilotar e de extremo conforto para a garupa, pra mim é um dos melhores locais para se começar as curtas viagens e se quiser mais conforto vá na baixa temporada que são os meses de maio/junho e agosto/setembro, além dos preços estarem muito bons os dias são bem ensolarados e quase não chove.
Brotas tem infra-estrutura muito boa para receber o turista em relação a pousadas restaurantes, bares e operadoras de turismo e aventura, a maioria com Sistema de Gestão de Segurança (SGS) aprovado pelo INMETRO, portanto fiquem tranqüilos para praticar os esportes. Mas se você não gosta de aventura e quer só passear, curtir a natureza, namorar e comer bem, então achou o lugar certo. Fui, vi e comprovei.
Humm! Tem cheirinho de Frangipani no ar. Pra quem não sabe “Frangipani” é uma árvore que dá uma flor muito bonita e com uma essência suave e agradável e foi assim que fomos recebidos em nossa hospedagem em Brotas. Pousada Frangipani tem tudo a ver com o conceito Motoa2, porque é uma pousada exclusiva para casais. Os proprietários Yeda e Fernando são os melhores exemplos, além da simpatia, é um casal que está sempre junto, andando de mãos dadas, dando ao ambiente a sua principal proposta: Estar junto em harmonia com a natureza e curtir cada momento. Logo quando entramos no quarto sentimos uma fragrancia super agradável que não dava nem vontade de sair. Bela estratégia, heim? Realmente faz jus ao nome.
A pousada fica afastada da cidade, aproximadamente 13 km, mas o acesso é excelente. E melhor ainda é que fica na rota das cachoeiras onde são realizados os passeios e onde tem as fazendas que são abertas ao turismo, todas com taxa de visitação.
Nossa viagem foi super tranqüila, a não ser por um pequeno detalhe, o Zé teve que pegar uma caroninha para comprar Fanta para moto, devia ser o calor, a danada estava com sede e não quis mais andar. Estes pilotos às vezes não tem o que inventar, acho que é só para dar um pouco mais de emoção a viagem.

Sexta feira nós tiramos o resto da tarde só para escutar o canto dos pássaros e conhecer um pouco a cidade e no dia seguinte faríamos algumas atividades, inclusive o que gostei daqui é que não é necessário acordar tão cedo para realizar os passeios. A maioria é feito com hora marcada e por estar tudo bem próximo é possível realizar até dois no mesmo dia. Os custos variam muito de atividade para atividade, mas os preços praticados entre as agências são semelhantes, inclusive na Pousada Frangipani, eles fazem as reservas e emitem o voucher pelos mesmos valores das agências.
Neste mesmo dia, no final da tarde fomos conhecer o Parque dos Saltos, localizado dentro da cidade. A entrada é franca e tem coisas bem interessantes para fazer, como trilhas, banho de cachoeiras, conhecer uma Ponte Pencil, mas optamos por ficar numa antiga casa de máquinas para fazer algumas fotos. Depois fomos para o Brotas Bar, um lugar de muito bom gosto. Ufa, fizemos bastante coisas em pouco tempo, voltamos para pousada para jantar aquele File à Parmegiana e guardar um pouco de energia para o dia seguinte, mas antes dei uma surrinha no Zé em um jogo de bilhar. Sorte de principiante!

No sábado depois de um delicioso e reforçado café da manhã, fizemos um Tirolesa (R$ 65,00pp) pela empresa Alaya Expedição. Fomos de moto até o Eco Parque que fica um pouco antes de chegar no bairro de Patrimônio. O acesso é muito bom e a paisagem da estrada melhor ainda. Já estava curtindo a partir dali, mais o melhor mesmo foi aproveitar as cinco tirolesas, mais conhecidas como o “Voo do Falcão”. Os guias são formidáveis e divertidos, só por isso já valeu. Já viu uma lagosta voadora? Este era um dos guias que nos auxiliou, os outros, Daniel e Julio César provavelmente são os irmãos “Falcão”. Este local dá para fazer 3 atividades, nele inclui além da tirolesa, uma pequena trilha e se quiser, até banho de cachoeira.
Na parte da tarde iríamos fazer o Rafting, mas antes fizemos um lanche maravilhoso de Ciabatta no Empório di Vino.
A Empresa pela qual realizamos esta atividade foi a EcoAção. O valor por pessoa é R$ 88,00. A infra-estrutura é muito boa, caso esteja em Brotas num bate e volta, eles dispõe de vestiários e armários para guardar os pertences e fazer as atividades despreocupados.
Neste passeio é impossível levar máquina fotográfica, nem arrisquem, pois podem voltar sem ela. O melhor a fazer é pagar R$ 40,00 em um DVD com mais ou menos 100 fotos.
Nosso Guia foi o genial Buza, uma pessoa muito querida e especial. Tem um senso de humor maravilhoso. É ele quem faz o briefing e a gente ri o tempo todo, sempre com suas “brincadeiras a parte”...
Hora de se divertir, o rafting é o carro chefe de Brotas, com toda razão e com certeza não pode deixar de ser feito. É adrenalina pura, além do esforço físico.  Pensou que você ia sentadinho com um motor de popa? Não mesmo, e tem que remar se não o Buza judia da gente. Realmente é um trabalho em equipe e não é a toa que muitas empresas fazem eventos corporativos em Brotas.
Tínhamos até um grito de Guerra. Como todos no bote gostavam de moto, inclusive o casal Marcelo e Yria, então optamos por um grito de guerra tudo a ver, “HayaBusa”.
Apesar do Buza fazer só as mulheres remarem tivemos a oportunidade de mostrar porque cada vez mais nos sobressaímos. Foi muito divertido, mas sei também que muita gente participou só porque no final tinha direito a tomar pinguinha com mel. Só para ter uma noção de tempo, este passeio demora aproximadamente 3h no total, mas de corredeira só é 1 hora. Falo assim porque dá vontade de “quero mais”.
Brotas também tem cavalgada, bóia-cross, arvorismo, canionismo, quadriciclo, bike & trike e o CEU (Centro de Estudo do Universo) pra quem quer viajar nas estrelas. E se você já veio e fez o rafting diurno, pode fazer algo com mais adrenalina, o rafting noturno (R$ 100,00pp).
Esta foi e será uma das boas experiências que tive na vida. Um lugar onde une tudo, natureza, esporte de aventura, qualidade de hospedagem e gastronomia, paz de espírito e tranqüilidade para quem busca qualidade de vida. Taí um lugar muito especial para conhecer.

Hayabusa!

 

 

 

 

   



COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo são 250 km até a cidade de Brotas.
Seguindo pelas rodovias Bandeirantes e Anhanguera, Washington Luiz e rodovia Eng. Paulo Nilo Romano.

ESTRADAS

Como já é de conhecimento de todos, as rodovias paulistas são famosas pela qualidade e também pelo alto preço dos pedágios que se paga para poder desfilar sobre elas, mas no caso dessas rodovias, nós motociclistas não pagamos, pelo menos por enquanto, melhor assim!

 

O QUE FAZER

Brotas é reconhecida nacionalmente por ser a cidade dos esportes de aventuras, o que é a mais pura verdade e oferece uma boa estrutura para isso, mas Brotas também é um ótimo lugar para quem quer curtir a natureza, descansar, namorar e passar um fim de semana bem diferente do agito das grandes cidades como São Paulo.
Nessa viagem conseguimos unir as duas coisas, o que para mim é perfeito, uma boa dose de adrenalina durante o dia, nas tirolesas, trilhas e rafting e todo o conforto e sossego que uma boa pousada pode oferecer.

Saímos de São Paulo na sexta-feira pela manhã a bordo de uma BMW GS 800 (que merece um parágrafo à parte mais abaixo), é sempre um prazer muito especial rodar de moto pelas estradas paulistas, tenho tanto prazer que nem me importo em errar alguma saída e ter que rodar um pouco mais, mas às vezes isso tem preço. Nesse caso acabamos ficando sem combustível, sabe como é, estou acostumado com a GS 1200 Adventure que dá pra rodar até uns 600 km com um tanque, bla, bla, bla...

Mas, como do limão sempre sai uma limonada, aproveitei as caronas de ida e volta até o posto de gasolina, para conversar um pouco e fazer novos amigos pela região.
Saciada a sede da GS com 2 litros de Fanta laranja (brincadeirinha BMW), seguimos até a pousada Frangipani, que fica a aproximadamente 13 km do centro de Brotas no sentido bairro do Patrimônio.
Depois de nos acomodarmos e tomar um merecido banho almoçamos um filé à parmegiana, no próprio restaurante da pousada, que vai me deixar com muitas saudades.
À tarde fomos para o centro da cidade, onde ficam as agências de turismo que fazem todas as atividades de esporte de aventura com guias profissionais, além dos barzinhos e restaurantes, é claro.
De volta ao sossego da nossa pousada, é hora de descansar um pouco e aguardar o que o dia seguinte nos reserva.
Sábado amanheceu ensolarado, e depois de um super café da manhã fomos até o Eco Parque, fazer o “Voo do Falcão” sobre o Rio Jacaré Pepira, são cinco tirolesas consecutivas numa extensão total de pouco mais de 1.000 metros, uma experiência divertida, emocionante e com um visual incrível do parque e das cachoeiras.
Na sequência um breve pit stop na pousada, trocamos de roupa e seguimos para o centro, onde fica a base da agência EcoAção. Era hora de uma das principais atrações de Brotas, o rafting no Rio Jacaré Pepira, depois de um divertido briefing com o nosso guia Buza, seguimos num ônibus da agência até a entrada do Rio, esse passeio é imperdível, além da adrenalina que as corredeiras proporcionam os guias são ótimos, é garantia de muita risada, e tudo isso com muita segurança.
Depois de um dia como esse nada como saber que alguns mimos nos esperam na pousada, uma cerveja gelada a beira da piscina, um joguinho de bilhar antes do jantar...
É amigos, pena que tudo que é bom termina!
Mas, o melhor é que tudo que é bom fica pra sempre gravado em nossas lembranças.

A BMW GS 800

Quando comecei essa viagem, pensei comigo mesmo, para ter isenção de opinião, não vou estabelecer paralelos de comparação entre a GS 800 e a GS 1200 Adventure, que é minha moto de uso pessoal, afinal são propostas bem diferentes.

Mas quis o destino me lembrar dessas diferenças logo nos primeiros 312 quilômetros rodados, esqueci que o tanque de combustível da 800 não é tão volumoso como o da Adventure e ficamos sem gasolina.
Tudo bem, distração minha, mas as diferenças não paravam por ai, quanto mais eu rodava pelas retas
e curvas de asfalto macio e pelas esburacadas e empoeiradas estradas de terra, mais eu me apaixonava pela suspensão dócil e pelo nervoso motor bicilindrico. Achei a moto ideal para viagens de até 500 km por dia, para quem curte rodar na terra a suspensão encara os piores desafios sem susto e para uso na cidade é muito ágil e com uma ciclística perfeita.
Gostei tanto da 800 que assim que chegamos em São Paulo peguei a Adventure para dar algumas voltinhas e sentir a diferença enquanto ainda estava quente.

E ai resolvi, vou estabelecer a comparação sim, porque essa impetuosa “GSinha de 800cc” teve
a ousadia de fazer o meu coração balançar entre ela e a toda poderosa GS 1200 Adventure.

Claro, que como já disse são propostas bem distintas, mas o conjunto motor de dois cilindros paralelos, com o tanque de combustível sob o banco, a suspensão invertida com longo curso com a roda dianteira aro 21,
e os excelentes freios com ABS, fazem com que essa moto transmita a principal virtude que uma motocicleta pode proporcionar: O prazer de pilotar.

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
VIAGEM CARBONO ZERO
Moto Modelo
km Percorrido
KgCO2e
Árvores Plantadas
BMW GS 800
600
0,60
0,06
Em respeito ao Planeta e apoio ao Programa Jovem Meio Ambiente e Inclusão Social (PJMAIS), nossas viagens levam este selo.
 Viagem realizada em:
 21/11/2011 a 23/11/2011
 Quilometros  Rodados
 600km ida e volta
 Despesa  Hospedagem

 Pousada Frangipani - www.frangipani.com.br
 Tel.: 14 3654-3529
 R$ 260,00 a diária (baixa temporada)

 Despesa Passeios
 R$ 65,00pp (rapel no EcoParque) R$ 88,00pp (rafting)
 www.alaya.com.br - Tel.: (14) 3653.5656
 www.ecoacao.com.br - Tel.: (14) 3653-9140
 Despesa Combustível R$ 110,00
 Despesa Alimentos
 R$ 190,00
 Classificação da Cidade
 Muita natureza, esportes de aventura e infra-estrutura
clique aqui para voltar ao índice