Versão Garupa
ACOLHIDA NA COLÔNIA- SC
Versão Piloto
 


O sul do nosso país é surpreendente, quanto mais eu conheço mais eu admiro as pessoas que vivem por lá. Toda a organização, os cuidados com as casas e jardins, os mimos na decoração e como não bastasse ainda arrumam tempo para fazer comidas maravilhosas. Portanto, quando viajarem para Santa Catarina, nada de se privar destas coisas boas.

Carnaval, nada de praia, então optamos pelo interior de Santa Catarina, precisamente município de Santa Rosa de Lima. Descobrimos que este lugar é ideal para quem quer sossego absoluto, nada de barulhos excessivos, escolas de samba, transito  e bebedeira, aqui a única fantasia e a do bicho preguiça, dormir, comer e passear lentamente e apreciar as belas paisagens.

Acolhida na Colônia é um projeto que já existe na França desde 1987, Accueil Paysan. São agricultores que abrem suas casas para receber visitantes do mundo todo e apresentam seu jeito de viver no campo. Imagina que você vai viajar para o interior na casa de um parente. É exatamente isso, quando você menos espera já se sente da família.

Nos hospedamos no Sítio Cristine e lá conhecemos Seu Chico, Dona Salete, Jussara, Leandro, além dos netos e noras desta família. A proposta tem um fundo ecológico e natural, onde nas plantações não pode ter a presença de agrotóxicos, 70% da alimentação tem que ser extraída da terra, proporcionando uma alimentação saudável para a família e para os visitantes. A ideia é fazer o turista viajar no tempo e conhecer a tradição culinária daquela família e suas histórias, além de perceber o carinho com que tudo é preparado.

Alguns sítios desenvolvem a apicultura, a produção de doces e geléias, hortaliças e também artesanatos. Produtos que você pode comprar e levar para casa.

Este local é muito conhecido por ciclistas, inclusive foi um casal de amigos que nos apresentou, Maurício e Rosangela. Como é quase parecido com o nosso esporte “moto” ciclismo, resolvemos conhecer de moto, assim era possível realizar o trajeto em menos dias. Só tem um pequeno detalhe, é um passeio off Road, a maioria dos caminhos é de terra. Para ter acesso as outras cidades,  mescla um pouco de asfalto e terra e disso não tem como fugir.

Esta região também é conhecida por “terras das vocações”, por isso vai encontrar muitas grutas com imagens de Nossa Senhora e pequenos vilarejos com igrejas, geralmente católicas.

Um passeio bem interessante e tradicional em Vargem do Cedro é o Café Colonial Fluss Haus, a 60km distancia do sitio da Cristine.
Aqui realmente é uma colônia de alemães. Os garçons estão todos com trajes típicos, a comidas e artesanatos são lindos e com preços acessíveis. Para se ter uma ideia, o valor por pessoas para o Buffet é R$ 26,00 com tudo incluso (menos bebidas alcoólicas) inclusive o delicioso chocolate quente e as famosas bolachas artesanais que você não resistirá em passar na lojinha e levar pelo menos dois pacotes. E se realmente gostar e quiser repetir a dose, tem um hotel,também típico, que fica bem em frente a este café. Se for no carnaval como nós, a consciência não vai nem pesar, afinal esta é a época de cometer pecados, inclusive o da gula.

Agora que já apresentamos as propostas da Acolhida, que  é unir o homem urbano ao homem do campo, fazer desacelerar e experimentar uma vida bucólica e ainda conhecer as tradições das famílias, só falta você aproveitar o próximo feriado e curtir esta região.

Viajar de moto é incrível principalmente quando se conhece lugares diferentes com propostas diferentes. Pelo que percebo, o movimento tem que ser contrário. Este é o único jeito de surpreender e ser surpreendido.

 

 

   


COMO CHEGAR

Partindo de São Paulo pela BR 116 são 800 km, mas como saímos às 14:30h resolvemos dormir em Curitiba, e pra variar fomos recebidos com uma forte chuva.
No dia seguinte saímos cedo em direção a Santa Rosa de Lima, continuando pela BR 116, BR 101 até Palhoça, BR 282 até Rancho Queimado, SC 108 até Anitápolis + 25 km por terra e chegamos.

ESTRADAS

A BR 116, pelo alto fluxo de caminhões, é uma rodovia que normalmente exige muita experiência e atenção do motociclista, mas em caso de chuva esses cuidados devem ser redobrados. E, para complicar um pouco mais, de Curitiba em diante o transito estava super carregado por ser carnaval, e mesmo tomando todo o cuidado não tive como evitar um acidente. Imagine uma estrada com um transito pesado andando em torno de 60 km/h. Agora imagine dois velhinhos, do interior do Paraná, numa pick-up Strada indo pescar, de repente o motorista, que estava na faixa da direita, viu uma oportunidade de trocar de faixa, e trocou mesmo, sem sinalizar e nem olhar no retrovisor, pra nosso azar eu estava quase ao seu lado, não deu tempo de fazer absolutamente nada, o choque foi inevitável e a queda também, felizmente ninguém se machucou, mas vale à pena destacar todos os equipamentos que garantiram nossa integridade. Capacetes bem afivelados não saíram da cabeça e resistiram ao choque com pequenas escoriações. Jaquetas e Calças de cordura que resistiram à abrasão do asfalto, as jaquetas sofreram desgaste nos ombros, mas resistiram. Botas e luvas também cumpriram suas funções. Outro acessório que garantiu nossa integridade e menos danos a motocicleta foi a mala lateral. Depois de passado o susto, levantar a moto e colocar tudo em ordem seguimos até um posto da Policia Rodoviária para registrar um boletim de ocorrência. Isso feito seguimos até o nosso destino sem mais sustos.

O QUE FAZER

A Acolhida da Colônia foi criada no Brasil em 1999, por 180 famílias de agricultores sob a orientação de uma rede francesa chamada Accueil Paysan, com o objetivo de valorizar a vida no campo através do agroturismo.
Nossa idéia era justamente essa, aproveitar o feriado do carnaval, saindo do agito dos grandes centros para curtir a tranqüilidade da vida simples do campo.
Vários municípios fazem parte desse projeto, nossa escolha foi ficar na Pousada Sitio da Cristine em Santa Rosa de Lima, e para se ter idéia da tranqüilidade do lugar, Santa Rosa tem apenas 2 mil habitantes.
É bom deixar claro que esse é um roteiro para quem curte Off Road, todos os passeios por aqui, invariavelmente, são por muitos quilômetros de estradas de terra, ideal para os amantes das motos trail.
O sistema de hospedagem é bem simples, nos próprios sítios, onde você é servido pelos proprietários e pelo menos 70% dos produtos que são servidos nas refeições são produzidos no local, sem agrotóxicos. Outro diferencial é o convívio, quase como se você também fizesse parte da família, no café da manhã, no almoço ou no jantar, sempre regados com muito bate papo.

HONDA VFR 1200X CROSSTOURER

Bom, para quem ainda não conhece vamos as apresentações:

Essa é a mais nova Big Trail da Honda, e seu principal diferencial é o sistema de transmissão eletrônica de dupla embreagem automática ou manual.

No primeiro contato com ela não tem como não estranhar a falta do manete da embreagem e do pedal de câmbio, mas é só começar a andar, ir ficando mais íntimo e ela vai se mostrando cada vez mais amigável.
No trânsito da cidade, o cambio automático, sem duvida, é uma boa opção, com duas possibilidades de mapeamento: no modo D para uma tocada mais tranqüila ou no S para uma um pouco mais esportiva ou ainda na função manual, onde você muda as marchas num simples toque de botão, sem perder a esportividade de pilotar.

Rodamos nessa viagem quase 2.000 quilômetros entre cidades, estradas asfaltadas e de chão, subimos e descemos montanhas e serras e a VFR 1200X surpreendeu pela versatilidade, apesar de ser uma moto pesada, pensei que sentiria falta da embreagem nos piores trechos de terra, mas mesmo em baixa rotação o controle de acelerador e freio se mostraram eficientes para superar os obstáculos.
O motor v4 refrigerado a água, com controle de tração, empurra muito em todas as faixas de giro, com baixíssima vibração, o que garante muito conforto nos longos trechos de asfalto.
O conjunto de suspensões com curso longo, o ABS combinado e a posição de pilotar também merecem destaque especial nessa moto.
O painel digital é completo e tem ótima visibilidade, principalmente para aqueles, que como eu, já passaram dos 40 anos.
Os cases, acessórios originais da Honda, tem um sistema de colocação e remoção muito prático e rápido. No top case abrindo-se um zíper aumenta consideravelmente a capacidade de carga, o que foi ótimo, porque nele foi o tripé, notebook, duas máquinas fotográficas e algumas coisinhas mas.
E, para quem pensa que a transmissão eletrônica pode fazer perder a esportividade ao pilotar, está muito enganado amigo, o sistema de dupla embreagem garante uma troca de marcha praticamente imediata.
Dois itens poderiam complementar essa moto, o aquecedor de manoplas e o piloto automático.
Mas, sem dúvida, a VFR 1200X oferece muito conforto para as longas jornadas e não foge das irregulares das estradas de terra.

 


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Viagem realizada em:
 04/03/14 a 08/03/14
 Tipo de viagem:
 FeriadoS Longos
 Quilometros Rodados
 2.000km (ida e volta)
 Hospedagem

 Acolhida Sítio da Cristine
 Diária - R$ 120,00 - inclui café da manhã/ almoço / jantar
 www.acolhida.com.br
 Telefones para reserva: (48) 3654-0186 – Acolhida na Colônia
 (48) 3654-0164 – Proprietário

clique aqui para voltar ao índice